Viagens prolongadas de avião podem fazer mal à saúde?

Nada como sair de férias e viajar para fora, não é mesmo? Mas antes temos que encarar aquelas longas viagens de avião, muitas vezes sentados em poltronas desconfortáveis e com pouco espaço para esticar as pernas.

Embora na maioria das vezes tudo terminem bem, as viagens de avião podem esconder alguns perigos para a nossa saúde, especialmente na presença de alguma doença prévia.

Os voos de avião acontecem a altitudes de cerca de 30 mil pés acima do mar (cerca de 9 km), porém as cabines internas são mantidas pressurizadas para uma altitude de cerca de 8 mil pés (2 km).

Mesmo com controle de pressão, o ambiente interno da aeronave possui um ar mais rarefeito do que geralmente estamos acostumados, gerando uma falta de oxigênio (hipóxia) relativa para as células do nosso corpo. Em cerca de quatro horas de viagem, já passamos a ter lentidão de raciocínio e da capacidade de julgamento, além de redução dos reflexos.

Pessoas com doenças crônicas ou que estejam na fase de recuperação de doenças agudas podem sentir a consequência das viagens prolongadas.

Os pacientes com qualquer tipo de doença crônica devem levar na bagagem de mão os medicamentos de uso habitual e ficar atento para ajuste no horário de admnistração de acordo com o fuso horário a ser atravessado. É recomendado também que aqueles com doenças cardíacas levem consigo um eletrocardiograma recente, pois isso pode ajudar caso algum imprevisto aconteça.

Pacientes com hipertensão arterial devem se atentar para não ter picos pressóricos com o estresse da viagem. Algumas dicas para o controle da pressão são: manter o uso regular das medicações; não ingerir bebida alcoólica e café, antes e durante o voo; solicitar dieta com baixo teor de sódio com antecedência; chegar cedo ao local de embarque.

Muitos já devem ter ouvido falar do risco de fazer trombose venosa profunda nas pernas durante viagens de avião prolongadas. Esse é um risco que de fato existe, pois ficar muito tempo com as pernas imobilizadas favorece a formação de trombos dentro das veias. Pessoas com história prévia de trombose ou condições genéticas que favoreçam a sua ocorrência devem se atentar ainda mais a essa questão.

Os principais sintomas da trombose venosa são dor e inchaço em um lado da perna. Para reduzir esse risco, recomenda-se utilizar roupas leves, mobilizar-se no assento, executar pequenos exercícios (movimentar os tornozelos, por exemplo), manter-se bem hidratado e usar meia elástica.

Por mais que voar possa esconder alguns riscos à saúde, nos parece que há um benefício maior quando a viagem termina – o benefício à mente de curtir um período completo de férias quando o avião termina o seu pouso!

Dr. Rafael Addum
Clínica Médica
09/02/16

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nosso endereço
Fórum de Ipanema
Rua Visconde de Pirajá 351, sala 614 . Ipanema - RJ
Telefones: (21) 2267-5384 e 99246 4696
Siga-nos!