Vacina contra Herpes Zoster

Dr. João Marcello de Araujo Neto
Clínica Médica

O vírus Varicela Zoster é um antigo conhecido de médicos clínicos e pediatras. Em geral, após o primeiro contato com este vírus desenvolve-se a Catapora (ou varicela) que caracteriza-se pela presença de lesões de pele em forma de vesículas na face, tronco e membros. Após a melhora da Catapora, um pequena quantidade de vírus persiste no corpo em um estado latente por toda a vida. Ao longo do tempo, e, principalmente após 50 anos de idade, este vírus pode sair deste estado de “dormência” e causar uma outra doença, o Herpes Zoster.

O Herpes Zoster manifesta-se em áreas restritas de pele com vermelhidão e vesículas habitualmente dolorosas. Na maioria dos casos, esta infecção é auto-limitada e melhora espontaneamente. Todavia, algumas pessoas podem desenvolver sequelas como a dor crônica. Além disso, enquanto houver a presença de vesículas, o vírus é transmitido para outras pessoas, podendo causar Catapora em quem não tiver imunidade prévia.

As pessoas que apresentam Herpes Zoster devem evitar contato com quem não teve Catapora ou não foi vacinado, especialmente as grávidas, crianças recém-nascidas e pessoas com a imunidade comprometida. Uma boa dica é não deixar as lesões de pele expostas e lavar sempre as mãos após o contato com as vesículas.

Estudos sugerem que após os 50 anos de idade, as pessoas experimentam um declínio na imunidade desenvolvida contra o vírus Varicela Zoster e, por isto, têm maior chance de desenvolver o Herpes Zoster. A vacina faz um reforço imunológico e, desta forma, protege contra as reativações do vírus.

Para avaliar a eficácia da vacina contra o vírus Varicela Zoster em reduzir a ocorrência de Herpes Zoster, foi realizado um estudo com 38.546 adultos com mais de 60 anos que tiveram Catapora na infância (1). Dentre os participantes que receberam a vacina, houve 50% menos casos de Herpes Zoster no período estudado. Além disto, dentre os vacinados que, por ventura, desenvolveram Herpes Zoster, houve menor chance do sequela com dor crônica.

Após a aprovação da vacina, um novo estudo foi realizado na Califórnia envolvendo 75.761 pessoas vacinadas que foram comparadas com mais de 200 mil pessoas que não tomaram a vacina (2). Este estudo além de ratificar que a vacina reduz o risco de Herpes Zoster, também evidenciou que a vacina é capaz de reduzir a ocorrência de manifestações oftalmológicas e casos graves que necessitem de internação.

Baseado nestes dados, o FDA (US Food and Drug Administration) autorizou o uso da vacina Zostavax® para todos adultos acima de 50 anos que não apresentem contra-indicações. A vacina é recomendada mesmo para aqueles que já tiveram Catapora e/ou Herpes Zoster. As principais contra-indicações desta vacina são gravidez e deficiências imunológicas. Para este segundo grupo de pacientes, uma nova vacina com vírus inativado está sendo desenvolvida (3).

A equipe de médicos do Instituto Clinic fornece orientações sobre as indicações da vacina Zostavax® e de diversas outras nos programas de Check-Up de Saúde e de Atualização Vacinal.

 

Referências:

A vaccine to prevent Herpes Zoster and postherpetic neuralgia in older adults. Oxman MN et al. Shingles Prevention Study Group. N Engl J Med. 2005;352(22):2271.

Herpes Zoster vaccine in older adults and the risk of subsequent Herpes Zoster disease. Tseng HF, et al. JAMA. 2011;305(2):160.

Zoster vaccine: current status and future prospects. Oxman MN. Clin Infect Dis. 2010;51(2):197.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nosso endereço
Fórum de Ipanema
Rua Visconde de Pirajá 351, sala 614 . Ipanema - RJ
Telefones: (21) 2267-5384 e 99246 4696
Siga-nos!