Gastrectomia – a cirurgia de retirada do estômago

O estômago é um órgão do aparelho digestivo em forma de bolsa que se situa na parte superior do abdome. A gastrectomia se refere à cirurgia de remoção de parte (gastrectomia parcial) ou de todo o estômago (gastrectomia total).

Quando a indicação da cirurgia é pela presença de um câncer de estômago, além do próprio órgão em conjunto com com o tumor, também são retirados os tecidos e os gânglios linfáticos (linfonodos) ao redor dele, para onde o câncer possa ter se espalhado.

Ao final do procedimento, o cirurgião faz uma ligação entre o estômago residual e o intestino delgado (no caso de gastrectomia parcial), ou entre o esôfago e o intestino delgado (no caso de gastrectomia total).

Dessa forma, a continuidade do trato gastrointestinal é restabelecida e o paciente pode voltar a se alimentar pela boca.

No entanto, o retorno da alimentação via oral é gradual e feito inicialmente com líquidos em pequenos volumes. Com o passar do tempo, são introduzidos alimentos pastosos e sólidos em maiores quantidades.

A gastrectomia pode ser realizada por cirurgia aberta (convencional ou a céu aberto) ou minimamente invasiva (videolaparoscopia ou robótica). No primeiro caso, é feito um grande corte no abdome e colocado um afastador para que o cirurgião possa ter acesso aos órgãos abdominais. Já a via minimamente invasiva é feita por pequenas incisões e instrumentos específicos e proporciona, além de melhor resultado estético (menores cicatrizes), menor sangramento, menos dor, menor tempo de internação hospitalar e menor incidência de complicações.

Como qualquer cirurgia, a gastrectomia pode levar a complicações incluindo infecções, hemorragias e fístulas (vazamento da ligação feita entre o esôfago/estômago e o intestino delgado). Além disso, especialmente após a gastrectomia total, ocorre redução da absorção de vitamina B12, o que pode causar anemia. Por isso, os pacientes deverão fazer reposição dessa vitamina de forma regular pelo resto da vida após a cirurgia.

Por se tratar de um procedimento extremamente complexo, os estudos têm demonstrado que os resultados de curto (incidência de complicações e mortalidade) e de longo prazo (tempo de sobrevivência após a cirurgia) estão diretamente relacionados à experiência do cirurgião com este tipo de cirurgia. Dessa forma, caso você tenha a indicação para este tipo de procedimento, é fundamental procurar um profissional com experiência em cirurgia de câncer gastrointestinal.

Dr Flavio Sabino

Cirurgião Oncológico – Estômago e Esôfago

Home

09/10/2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nosso endereço
Fórum de Ipanema
Rua Visconde de Pirajá 351, sala 614 . Ipanema - RJ
Telefones: (21) 2267-5384 e 99246 4696
Siga-nos!